domingo, 29 de abril de 2012

primeiro-ministro francês rebate acusações de site sobre Sarkozy


O site Mediapart revelou um documento que aponta que o candidato a reeleição presidencial na França, Nicolas Sarkozy, recebeu financiamento do ex-ditador líbio, Mummar kadafi, durante a campanha eleitoral de 2007. De acordo com o site a quantia foi de € 50 milhões. Contudo o primeiro-ministro francês, François Fillon, negou neste domingo as acusações.

De acordo com Fillon, o site estaria fazendo uma manobra política às vésperas das votações do segundo turno das eleições presidenciais para favorecer o candidato socialista, François Hollande, e que o documento de origem do regime secreto da Líbia é uma falsificação. Ainda segundo Fillon, a campanha de Sarkozy em 2007 custou € 20 milhões. 

Atentado em universidade mata estudantes na Nigéria

A Universidade de Bayero na cidade de Kano, ao norte da Nigéria, sofreu um atentado neste domingo. Pelo menos oito estudantes morreram e 11 pessoas ficaram feridas com o ataque a bombas e tiros a um teatro dentro da universidade, onde era realizada uma missa. Segundo informações de jornalistas, o número de mortos pode chegar a 15. 

quinta-feira, 19 de abril de 2012

ONU pede o envio de mais 300 observadores a Síria


O secretário das Nações Unidas, Ban Ki-moom, disse nesta quinta-feira que será necessário o envio de mais 300 observadores da ONU a Síria. Apesar do cessar-fogo, que se iniciou há uma semana, há relatos de bombardeios de forças sírias a redutos dos opositores. De acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH) pelo menos 120 pessoas morreram em uma semana. No momento há seis militares da ONU supervisionando o tratado, entre eles o comandante brasileiro Alexandre Feitosa. 

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Base militar da ONU é bombardeada no Sudão do Sul


Base de missão das Nações Unidas é alvo de bombardeio de aviões de guerra em ataques do Sudão ao Sudão do Sul, de acordo com a ONU. Os confrontos na fronteira entre os países já haviam deixado pelo menos sete civis mortos no último domingo.

Nesta segunda-feira o parlamento do Sudão aprovou uma resolução que declara o país do sul um inimigo. O presidente do parlamento também declarou que o governo sudanês pretende derrotar o Movimento Popular de Libertação do Sudão, que atualmente estão no poder no Sudão do Sul.

Entre 1983 e 2005 o Sudão foi palco de uma guerra civil. Em julho de 2011 o Sudão do Sul se tornou independente. Mas em março deste ano os dois países começaram a se enfrentar após o Sudão do Sul tomar na fronteira a cidade de Heglig, principal campo petroleiro do Sudão. 

domingo, 15 de abril de 2012

Conselho Nacional de Transição deve ser criado em Guiné Bissau


Militares que tomaram o governo em Guiné Bissau depois de um golpe decidem criar o Conselho Nacional de Transição. Com essa medida, todas as instituições foram dissolvidas. Ainda não se sabe quem formará este Conselho, o que será definido nesta segunda-feira, 16, em reunião entre os partidos políticos.

O presidente interino, Raimundo Pereira, e o Primeiro Ministro, Carlos Gomes Junior e o Chefe de Estado-Maior, o general Antonio Indjai, foram depostos na sexta-feira pelos golpistas.

Na sexta-feira, o Conselho de Segurança da ONU havia condenado o golpe militar em Guiné Bissau e exigiu o restabelecimento da ordem no país. 

Mesmo com cessar-fogo, bombardeios são relatados na Síria


Apesar de os observadores das Nações Unidas (ONU) terem chegado neste domingo a Síria, combates em algumas partes do país, como Homs e Aleppo, irromperam neste domingo, de acordo com o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), e pelo menos cinco civis morreram.

Ainda neste domingo os seis primeiros observadores enviados pelo Conselho de Segurança chegaram à Síria para iniciar as atividades de monitoramento do cessar-fogo na segunda-feira. A trégua entre o governo sírio e os insurgentes foi iniciada no último dia 12. Embora em número menor, os confrontos continuam a acontecer. 

Insurgentes Talibãs praticam uma série de ataques no Afeganistão


Uma série de ataques coordenados pelos Talibãs no Afeganistão atingiu algumas embaixadas, a sede Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) na capital Cabul e também o parlamento afegão, além de a insurgência ter atingido outras províncias do país neste domingo. O grupo afirmou que este ataque é apenas o início de uma “Ofensiva de Primavera”.  Entre as embaixadas consideradas alvos pelos Talibãs estavam a do Reino Unido e a da Alemanha.  Já a embaixada norte-americana foi fechada assim que os ataques se iniciaram.

O porta-voz do grupo Talibã, Zabihullah Mujahid, afirmou que os ataques deste domingo foram uma resposta à queima de cópias do Corão em uma base da Otan, pelo assassinato de 17 civis afegãos cometidos por um soldado norte-americano e por vídeos que mostram fuzileiros navais, também norte-americanos, urinando em militantes mortos.

Os ataques foram realizados com lança-granadas e rifles a partir de um hotel próximo as embaixadas e também por homens-bombas. Os Talibãs tomaram outros prédios e tentaram invadir o parlamento. Do lado dos Talibãs, 19 homens-bomba estão entre os mortos e foram relatadas cinco mortes de policiais afegãos. Este foi considerado o pior ataque dos insurgentes desde que o país foi invadido pelos Estados Unidos em 2001.